Gestão e Projetos

Planejamento e Gerenciamento de Obras
16 de julho de 2018 | Por Barufi Consultoria

Entenda por que o planejamento e gerenciamento de obras são a parte mais importante de todo o processo de construção.

 

Os avanços tecnológicos da era globalizada, como a internet, por exemplo, exigem dos empresários uma organização e capacidade de gestão de obras muito alta; afinal, o tempo de realização de procedimentos diminuiu e, consequentemente, a quantidade aumentou.

Neste contexto, ações sem um bom planejamento podem, facilmente, gerar grandes problemas. Pensando nessa questão, muitas empresas do setor da construção civil firmaram parcerias com empreendimentos especializados no gerenciamento de obras.

Assim, todo planejamento estratégico e executivo de construção, manutenção e reforma são desenvolvidos por profissionais qualificados nas mais distintas etapas de um projeto.

 

O que a falta de planejamento de obras pode gerar?

 

Exemplificando, podemos observar o caso da falta de organização do sistema ferroviário paulista. A cidade de São Paulo tem, atualmente, 78 km de trilhos, muitos dos quais extremamente criticados pelos usuários.

Para se ter uma ideia, em muitas estações não é possível sequer realizar a transferência gratuita para voltar, ou seja, caso o usuário passe da estação que pretendia descer, em diversos casos, será necessário que o mesmo percorra algumas estações a mais, até encontrar uma parada que possua a estrutura de sentido sem nova tarifa.

Outro ponto que chama atenção, dentro do nosso exemplo, é a diferença de crescimento das linhas em relação a outros países. O metrô de Seul, na Coreia do Sul, foi inaugurado em 1974, no mesmo ano que o paulistano, e hoje já possui cerca de 386 km.

O levantamento do portal mobilize.org, em 2015, mostra a disparidade das linhas internacionais em comparação com o município paulista.

 

disparidade-de-linhas-metroviárias-internacionais-são-paulo

 

O que preciso levar em consideração para fazer um bom gerenciamento de obras?

 

Nada de ilusões, a criação de um planejamento de obra é complexa e repleta de etapas. As atividades que compõe um planejamento eficiente são compostas e executadas pelos recursos de:

  • materiais;
  • equipamentos;
  • mão-de-obra.

Esses componentes são utilizados nas atividades de maneira direta, agregando valor ao produto final. Dentro do projeto, alguns parâmetros devem ser previamente definidos, tais como:

  • prazo;
  • risco;
  • custo;
  • qualidade.

 

Cálculo do custo horário de depreciação e juros nos equipamentos (DJ)

 

Exemplo: imagine uma máquina que trabalha em condições médias, cujo valor de aquisição é de R$ 150.380,00, com juros anuais de 12,31%. Essa máquina tem potência de 74 HP e trabalha com óleo diesel. O salário base do operador desse aparelho é de R$ 750,00 por mês com jornada de trabalho de 220 h/mês e os encargos sociais de 124,60%.

 

Solução:

 

Cálculo do custo horário de depreciação e juros (DJ)

 

cálculo-do-custo-horário

Observe a tabela abaixo:

cálculo-do-custo-horário-de-depreciação-e-juro-dj

 

Na qual:

V0 = valor de aquisição do equipamento;

h = vida útil do equipamento em horas;

tj = taxa de juros anual;

n = vida útil do equipamento em anos.

cálculo-de-custo

 

Vale ressaltar que este é apenas um dos cálculos entre as diversas contas necessárias para desenvolver uma avaliação de recursos qualificada: o cálculo do custo horário de mão-de-obra para operação (MO) e o cálculo do custo horário de material para operação (MAT) são alguns dos exemplos.

Para alcançar o sucesso esperado, o planejamento do projeto deve ser desenvolvido e administrado durante todo o período de execução e finalização da obra. Ou seja, para chegar ao objetivo pretendido é necessário elaborar mecanismos que acompanhem e melhorem os procedimentos com antecedência, e, até mesmo, durante o próprio andamento dos trabalhos. Exemplificando, ações como essas surtem esse efeito:

  • preparar uma equipe de administração de obras;
  • desenvolver um plano de implementação do projeto;
  • avaliar o andamento do projeto;
  • criar um canal aberto de informações;
  • instituir frentes para as tomadas de decisões;
  • elaborar banco de dados de todas as atividades realizadas;
  • garantir a manutenção das equipes focadas.

 

Não caia nos erros da rotina

 

O gerenciamento de obras é uma atividade contínua e que costuma ser demorada, afinal, mesmo com uma boa organização, imprevistos podem ocorrer.

Nesse sentido, ter uma equipe qualificada é um fator primordial em qualquer projeto de engenharia, tanto para resolver processos ou, simplesmente, deixá-los mais produtivos.

Não deixe a rotina dominar as suas ações, isso é perigoso em qualquer contexto da vida, e no planejamento e gerenciamento de obras não é diferente. Criar indicadores e índices de análises podem ser ótimos caminhos para solucionar problemas e reduzir gastos.

Em outras palavras, fique sempre atento aos detalhes.

Receba as principais notícias sobre infraestrutura direto no seu e-mail.
Assine nossa newsletter!

Newslatter enviado com sucesso!
Verifique seu email.